TINGIMENTO DE ALGODÃO COM CORANTE REATIVO SEM USO DE SAL POR MEIO DA APLICAÇÃO DE ÓLEO DE SOJA

Autores

  • Daniele Kuhn Universidade Federal de Santa Catarina
  • Catia Rosana Lange de Aguiar Universidade Federal de Santa Catarina

Palavras-chave:

Tingimento; algodão; óleo.

Resumo

Sabendo da necessidade da indústria têxtil em atender as suas demandas com menor índice de impactos ambientais, entende-se a importância da pesquisa acerca de métodos alternativos de tingimento de algodão sem uso de sal. Desta forma, o estudo buscou analisar a viabilidade do tingimento de algodão com corante reativo por meio do método de tingimento com corante em óleo de soja. Foram estudadas as propriedades do material tingido por meio de testes de solidez a fricção, a luz e a lavação. Além disso, foram realizadas análises de isotermas (Langmuir e Freundlich) e cinética de tingimento em espectrofotômetro de reflectância, com adoção do tingimento convencional como o padrão. Para análise residual de corante no processo foram realizadas coletas de alíquotas nas etapas inicial e final de tingimento, bem como a cada lavação, e as soluções foram avaliadas por meio de espectrofotômetro de absorbância. O comprimento de onda encontrado foi de 542 nanômetros. Os resultados apresentaram valores aceitáveis de solidez e capacidade colorística das amostras, apesar de também ressaltar a vantagem sobre o tingimento convencional que ainda se mostra o mais efetivo, tendo apresentado cinética de pseudo-segunda ordem, indicando que o controle do mecanismo de velocidade é a adsorção química, além de isoterma adequada ao modelo de Langmuir, ou seja, fibra e corante interagem fortemente. Em sequência, os resultados foram positivos para o substrato tingido com óleo, revelando que o método tem futuro e fomenta a continuidade de estudos acerca do mesmo.

Downloads

Publicado

07-08-2021