AVALIAÇÃO TECNO-ECONÔMICA DA PIRÓLISE DOS RESÍDUOS PLÁSTICOS PARA PRODUÇÃO DE ÓLEO COMBUSTÍVEL EM UM MUNICÍPIO DE MÉDIO PORTE

Autores

  • Tailane Hauschild Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS, Brasil

Palavras-chave:

Pirólise; Plásticos; Óleo combustível.

Resumo

Foi realizada a análise da viabilidade técnica-econômica da implantação de uma planta de pirólise para a produção de óleo combustível (OC). O processo de pirólise catalítica ocorre num reator de leito fixo com capacidade de processar 4 m³ de resíduos plásticos secos e triturados (massa volúmica de 500 kg/m³), o qual é aquecido a uma taxa de 2 °C/min até atingir a temperatura da reação entre 270 e 3500 °C. O processo de pirólise é então mantido à temperatura estabelecida durante um período de 6 horas. O tempo de residência dos gases de pirólise é igual a 90 minutos. Cada ciclo de batelada dura em média 9 horas. Analisou-se a produção de óleo por processo de pirólise das diferentes frações de plásticos dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) de um município de médio porte. No cenário 1, cenário de referência, 1.04 e 3.63 ton/dia de plásticos são encaminhados para a reciclagem mecânica e para o aterro sanitário, respectivamente. A partir do cenário de referência, foram analisados três cenários com a implantação de pirólise de plásticos: cenário 2, 3.63 ton/dia, fração de plásticos não reciclados; cenário 3, 4.36 ton/dia, fração total de plásticos contida nos RSU; e cenário 4, 5 ton/dia, capacidade total da planta. Os custos de produção do OCP foram calculados em 1,50; 1,29 e 1,13 R$/L, aproximadamente 41; 49 e 56% inferiores ao preço de venda do combustível (2,55 R$/L), para os cenários 2, 3 e 4, respectivamente. Os custos por unidade de energia (GJ) do OC variam entre 40,88 e 29,67 R$/GJ. O Valor Presente Líquido (VPL) positivo para os três cenários indicam a viabilidade econômica da planta de pirólise. Os VPL aumentaram de R$ 6.72×106 a R$ 11.29×106, na ordem de 1.68 vezes maior para o cenário 4. O sistema de pirólise precisa operar entre três e quatro anos para recuperar o capital investido. Os custos do munícipio com destinação de RSU podem ser reduzidos em até 54,75%, de 139,48 a 63,12 R$/ton RSU gerado, entre o cenário de referência e o cenário 4.

Downloads

Publicado

07-08-2021