O Mar de Lamas do Desenvolvimento: Impactos dos resíduos do Desastre da Samarco/Vale/BHP sobre a saúde do povo Krenak

Autores

  • Thiago Henrique Fiorott Centro de Desenvolvimento Sustentável (CDS) da Universidade de Brasília (UNB)
  • Izabel Cristina Bruno Bacellar Zaneti Centro de Desenvolvimento Sustentável (CDS) da Universidade de Brasília (UNB)

Palavras-chave:

Desastre da Samarco/Vale/BHP; Resíduos; Saúde indígena.

Resumo

O rompimento da barragem Samarco/Vale/BHP, em Mariana-MG, em 2015, causou o maior desastre ambiental já ocorrido no Brasil, trazendo efeitos deletérios às diversas dimensões da vida e da saúde da população atingida na bacia do rio Doce. Os resíduos da mineração oriundos do desastre ainda continuam dispersos no ambiente e no leito do rio sendo carreados aos poucos com o fluxo do hídrico, em especial em períodos chuvosos, o que gera insegurança da população com a qualidade da água, a contaminação do lençóis freáticos, do solo e alimentos nele produzidos, dos peixes, dos animais silvestres e das criações, enfim, de toda a cadeia alimentar, consequentemente, com potencial de afetar a saúde das pessoas, sobretudo dos mais vulneráveis e com maior relação com o rio Doce, como o povo indígena Krenak. Portanto, o objetivo do presente estudo é compreender, sob a perspectiva do povo Krenak, os impactos dos resíduos do desastre da Samarco/Vale/BHP sobre a saúde desse povo indígena. Trata-se de um estudo de caso, no qual foi utilizada a técnica de grupo focal, trabalhada com os agentes indígenas de saúde, pajés e anciãos da aldeia, dentre outros atores. Os achados de campo revelam que as diversas dimensões da vida e da saúde do povo Krenak foram impactados, tais como a segurança alimentar, o acesso à água, as relações sociais, culturais e espirituais, a saúde mental, a sua medicina tradicional o que requer um acompanhamento por parte das instituições responsáveis pela saúde indígena assim como pela reparação do pós-desastre.

Downloads

Publicado

12-07-2023