COMPARATIVO ENTRE FIBRAS DE POLIPROPILENO E COPRODUTO DE FIBRA CELULÓSICA COM POLÍMERO SUPERABSORVENTE COMO ADIÇÃO EM CONCRETOS DE CIMENTO PORTLAND

Autores

  • Igor Lucas de Léis Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Palavras-chave:

Concreto reforçado, Coproduto, Fibra

Resumo

A utilização do resíduo industrial contendo fibra celulósica (FC) e polímero superabsorvente (PSA) na área da construção civil está em estudo desde 2012. Recentemente, 2022, a pesquisa avançou para obtenção de um coproduto aplicado em concretos de cimento Portland. Nessa etapa constatou-se que além do PSA servir como agente de cura, a FC age como reforço, efeito semelhante ao causado por fibras de polipropileno. Como o coproduto está em processo de inserção no mercado, o objetivo deste trabalho é comparar as alterações de propriedades físicas e mecânicas geradas pela inserção de fibra de polipropileno e as geradas pelo coproduto, através de revisão bibliográfica. Os artigos que compõem a revisão são de periódicos classificados como A1 e A2, conforme QUALIS da CAPES 2022, categoria Engenharias I. Os parâmetros considerados para a seleção foram: comprimento e consumo de fibra. Segundo Barth (2021), a adição de 0,75 kg/m³ do coproduto ao concreto, aumentou 18% da resistência à compressão, melhorou 25% a resistência à tração e reduziu 71% a retração plástica em relação ao concreto referência. Os estudos que compõe a revisão apontam que o reforço com polipropileno causa, em média, melhora de 17,68% na resistência à compressão. Enquanto a resistência à tração teve melhora de 18,7%, no estudo de Liu et al (2022). Já, de acordo com Baričević et al (2018), a retração teve redução de 36,3%. Com base nesses dados, pode-se afirmar que o coproduto desenvolvido tem características técnicas para competir com a fibra de polipropileno.

Publicado

19-12-2023