LEVANTAMENTO LOGÍSTICO DA DESTINAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DOS MUNICÍPIOS DA AMURES

Autores

  • Andreza Brancher Louzada Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC/CAV
  • Sandy Bernardi Falcadi Tedesco Girotto Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC/CAV
  • Kelly Vanessa Braatz UFSM- Universidade Federal de Santa Maria

Palavras-chave:

Resíduos Sólidos; Gerenciamento; Coleta

Resumo

O padrão de consumo da sociedade resulta na geração de expressivas quantidades de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU), que devem ser gerenciados e destinados corretamente pelos gestores municipais. Este artigo objetiva analisar a gestão dos RSU em 5 (cinco) dos 18 municípios da Associação de Municípios da Região Serrana (AMURES) do estado de Santa Catarina, sendo eles: Lages, São Joaquim, Correia Pinto, Otacílio Costa e São José do Cerrito. Trata-se de uma pesquisa quantitativa, descritiva e de corte transversal. A coleta dos dados ocorreu por meio da aplicação de um questionário referente a geração e coleta dos resíduos, aos transportes utilizados, a informações sobre a coleta seletiva de materiais recicláveis e resíduos orgânicos, e os principais desafios encontrados no seu gerenciamento. Todos os municípios apresentaram taxas de geração per capita consideradas baixas em relação ao tamanho da população. A coleta de RSU nos municípios de Lages, São Joaquim, Correia Pinto e Otacílio Costa abrangem mais de 90% da sua população. Lages possui a maior cobertura e frequência de coleta, e maior frota de coleta, pois é o município que gera mais RSU dentre os 5 (cinco) analisados. Com relação a coleta de materiais recicláveis, apenas Lages, Otacílio Costa e São José do Cerrito realizam tal serviço, em diferentes condições de frequência, cobertura e entidade responsável. Dessa forma, a principal dificuldade enfrentada na gestão de RSU é o sistema deficitário de educação ambiental, já que este viabiliza as ações de reciclagem e reduz as quantidades de RSU destinadas aos aterros.

Downloads

Publicado

12-07-2023